Brasil

Depois de quase 10 anos novo hospital de Cafelândia está a um passo de funcionar

O hospital só será colocado em funcionamento se houver uma união de esforços, tanto...

28 abr 20 - 03h35 Luiz Felipe Max
Depois de quase 10 anos novo hospital de Cafelândia está a um passo de funcionar

Já foi sancionado o projeto de lei que trata sobre a concessão onerosa do imóvel onde foi construído o Hospital Municipal de Cafelândia. A informação foi confirmada pelo prefeito, Estanislau Franus. O documento foi aprovado há dez dias pela Câmara de Vereadores. O prefeito explicou que as alterações que foram propostas pelo Legislativo durante a tramitação da matéria são itens que seriam inclusos nas cláusulas do edital de licitação e que estão dentro do que tinha sido planejado.


Dr. Franus já montou uma comissão técnica que ficará encarregada de discutir o assunto e preparar o edital de licitação. Essa comissão é composta por duas enfermeiras, um médico, um servidor do Departamento de Engenharia, um servidor da Vigilância Sanitária, 01 assessor técnico e um servidor do Departamento Jurídico. Em 15 dias eles devem concluir toda a parte burocrática e elaborar um termo de referência que depois será encaminhado para o Conselho Municipal de Saúde, para ser analisado e logo depois seguirá para a Câmara de Vereadores para que seja referendado.

Na quarta-feira (22), um grupo de seis vereadores visitou as instalações do hospital. Nessa comissão estavam Jair Pina da Silva, Soldado Branco, Fabio de Lima, Rodrigo Diefenthlaer, Solange Koehler e Charles Rohling. A vistoria foi acompanhada pela Secretária de Saúde, Eliane Schmitt. O encontro tinha sido programado ainda na semana passada quando o Legislativo votou o projeto para a concessão onerosa.

Durante entrevista ao Jornal ABC o prefeito disse, também, que já há interessados na administração do novo Hospital e citou que o Município foi procurado por uma empresa de Santa Catarina, que estaria disposta a participar da licitação. “Isso nos anima bastante”, comentou, entusiasmado. Dr. Franus citou que nestes últimos dias também foi regularizada uma série de documentos que estavam pendentes.

Citou a expedição da licença ambiental, que é fornecida pelo Instituto Ambiental do Paraná (IAP); a licença de funcionamento expedida pelo Corpo de Bombeiros e a liberação da planta baixa de toda a estrutura. Também foram instalados mais de 30 aparelhos de ar condicionado e colocado em teste o gerador de energia, além de revisão nas instalações, no expurgo e uma série de outros itens.

“Temos uma equipe que está trabalhando no local. Eles estão fazendo a pintura interna e externa, montando os postinhos de enfermagem, vão montar as camas, roupeiros, cozinha, lavanderia, enfim, vamos deixar tudo pronto. Caso haja necessidade usaremos para o combate ao coronavírus. Se não houver necessidade a estrutura estará pronta para entrar em funcionamento pela empresa que vier a se habilitar através da licitação”, comentou. Dr. Franus acredita que em 90 dias tudo esteja resolvido e o hospital possa estar funcionando, definitivamente.

Ele comentou, por outro lado, que o hospital só será colocado em funcionamento se houver uma união de esforços, tanto do Executivo quanto do Legislativo, da população e da comunidade empresarial. “É preciso uma sinergia de todas as forças ativas do nosso município. Acredito que tudo isso será possível porque vejo que todos estamos empenhados na abertura desse hospital” disse.

“Essa não é uma bandeira política é uma causa de todos nós. Todos estamos empenhados e isso representa uma grande força. É a força que precisamos para que ele venha a funcionar. O hospital não é caso de emergência apenas na hora da pandemia. É uma questão de emergência todos os dias na vida do nosso povo”, concluiu

Via: Redação/portalcorbelia- - Foto: Divulgação


Whatsapp NPR Online - Envie sugestões de Pautas, Fotos ou Videos, para o nosso WhatsApp que a nossa equipe irá atender você, ou entre em nosso grupo do WhatsApp e recebe as principais notícias em primeira mão: https://bit.ly/39HAJmd


Postagens Relacionadas
Publicar um comentário:
Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.